CARLOS JULIANO TORRES PASTORINO


Carlos Juliano Torres Pastorino nasceu no dia 4 de novembro de 1910, no Rio de Janeiro.

Sempre foi dedicado aos estudos e aos 14 anos recebeu do Colégio D. Pedro II os diplomas de matérias de alto conhecimento, como Geografia, Corografia e Cosmografia. No mesmo ano de 1924 recebeu também o diploma de Bacharel em Português.

Quando concluiu os estudos no Colégio D. Pedro II, viajou para Roma para cursar o Seminário e no ano de 1929, foi diplomado pelo Cardeal Basilio Pompili, para a Ordem Menor de Tonsura. No ano de 1932 se formou também em Filosofia e Teologia e em 1934 foi ordenado sacerdote.

Pastorino abandonou a Igreja Católica Romana no ano de 1937, quando aguardava a sua promoção para diácono. Ficou espantado quando presenciou a recusa do Papa Pio XII em receber Mahatma Gandhi vestido em seus trajes humildes. Nesse momento Pastorino compreendeu a importância de seguir os ensinamentos de Jesus, através do amor ao próximo e da prática da caridade.

Voltou para o Brasil e começou a dar aulas de Latim, Grego e Espanhol, cargo que exerceu do ano de 1937 a 1941 no Instituto Ítalo-Brasileiro. Nesse ínterim recebeu o registro como professor de Psicologia, Lógica e História da Filosofia do Ensino Secundário. Exerceu também atividade jornalística, escrevendo matérias como correspondente para os Diários Associados, tendo sido reconhecido nessa área pela Academia Brasileira de Belas Artes.

Em 1950 Pastorino leu em 2 dias “O Livro dos Espíritos”, de Allan Kardec, e se apaixonou pelo espiritismo, pois observou que o este continha apenas os ensinamentos de Jesus sem dogmas e passou a compreender diversos assuntos que nunca lhe haviam sido explicados. Um ano depois fundou o Grupo Espírita Boa Vontade que foi renomeado como Grupo de Estudo Spiritus. Fundou a Livraria, a Editora e a Revista chamadas Sabedoria, para poder divulgar o Espiritismo e foi um dos fundadores da Associação Brasileira de Jornalistas e Escritores Espíritas.

No ano de 1966 publicou seu livro Minutos de Sabedoria, uma coletânea de mensagens para ler no dia-a-dia. Pastorino se tornou radialista e divulgava todos os dias uma mensagem de seu livro para que todos que o ouvissem pudessem ter um consolo e uma palavra para lhes ajudar.

Carlos Juliano Torres Pastorino desencarnou no dia 13 de julho de 1980, em Brasília. Foi professor, jornalista, compôs diversas peças teatrais e peças musicais para orquestras, traduziu inúmeros livros para diferentes idiomas. Se apaixonou pela libertação, amor e verdade que o espiritismo traz e o divulgou até os últimos segundos.


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

©2017 Grupo Beneficente José Nunes Feller.

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram