A VERDADEIRA CARIDADE


A caridade é um dos pilares do espiritismo e sua prática é fundamental para que nos tornemos cristãos.

Mas será que sabemos o que é a verdadeira caridade?

Para responder a essa pergunta primeiramente vamos fazer uma distinção entre esmola e caridade. Enquanto na primeira somos abordados por aqueles que necessitam de auxílio, na segunda procuramos amparar espontaneamente.

Assim, aquela prática que temos em nosso dia a dia de doar a quem nos pede, embora tenha seu valor não se trata de caridade, mas sim uma pequenina parcela desta.

A verdadeira caridade não mede esforços. Vai em busca do necessitado e se estende a todos indistintamente, mesmo àqueles que possam ter ofendido o benfeitor.

Não pede nada em troca, ou seja, é desinteressada. Pratica-se o bem pela simples alegria que ele proporciona, sem questionar se é devido ou não.

Não se gaba de praticá-la e nem se divulga, pois neste caso seria promoção. Dessa forma, apesar de haver benefício para quem recebe, não haverá mérito para aquele que doa.

Na caridade se divide o pouco que tem. Quando não se pode auxiliar com recursos financeiros, pode-se praticar a caridade através de uma prece, um olhar amigo, um abraço fraterno, uma palavra de incentivo, um bom pensamento, o perdão das ofensas e até mesmo através de algo que possa ser feito manualmente em benefício do irmão necessitado, além de tantas outras possibilidades.

Basta que estejamos dispostos a isso.

Devemos sempre ter em mente que a “A caridade é o amor em movimento” e “será nosso advogado do amanhã”.

O objetivo de encarnarmos na Terra é a nossa evolução. E como evoluir se não fizermos nada por ninguém?

Tudo que adquirirmos de bens terrenos em nosso favor vai permanecer na Terra quando desencarnarmos, mas os “bônus-horas”[1] que conquistarmos com a prática da verdadeira caridade seguirão conosco para a eternidade.

Jesus disse: “fora da caridade não há salvação”.

E o caminho para praticarmos a verdadeira caridade é olharmos para o nosso próximo como a um irmão, igual a nós. Assim conseguimos compreender suas necessidades e se dispor a atendê-las, da mesma forma que gostaríamos que as nossas necessidades fossem atendidas. Assim, estaremos levando àqueles que passam por provas o amor e a esperança.[2]

[1] Segundo o livro Nosso Lar escrito pelo espírito André Luiz, através do médium Francisco Cândido Xavier, o bônus-horas representa o merecimento que adquirimos através de nosso trabalho na verdadeira caridade.

[2] Referências:

O Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo XIII - Não saiba Vossa mão esquerda o que dá a vossa direita

O Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo XV - Fora da Caridade Não Há Salvação

O Livro dos Espíritos - perguntas 886 a 889

Revista Espírita 1858 - Agosto - A caridade, por S. Vicente de Paulo

Revista Espírita 1862 - Fevereiro - Ensinos e dissertações espíritas - A caridade

Revista Espírita - Dezembro de 1868 - Caridade é a alma do Espiritismo

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

©2017 Grupo Beneficente José Nunes Feller.

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram